martins em pauta

Carregando...

domingo, 27 de julho de 2014

Natal: Policial Militar surta, queima três motos da Rocam e tenta suicídio.

27/07/14

Um policial militar da capital, antes designado como piloto da Rocam, surtou nessa manhã de domingo, queimou três motos BMW (recém adquiridas com recursos da Copa) e até às 14 dessa tarde tentava cometer suicídio numa passarela da Salgado Filho. Até o momento são desconhecidas as motivações que levaram ao ato do PM, contudo simula-se um surto psicológico por causa de uma transferência de unidade, assim seria o principal motivo, haja visto o descontentamento do PM.Várias viaturas do Corpo de bombeiros, Polícia Militar e do Samu foram acionadas para o local. Após minutos de tensão, o policial acabou desistindo do ato extremo e se entregou às autoridades. 










Jair Sampaio/ Passando na Hora

CEARÁ: estádio reproduz Coliseu em cidade do Sertão que não tem time de futebol. (Vídeo)

DOMINGO, JULHO 27, 2014 

Cidade de 16 mil moradores constrói novo Coliseu com capacidade para 20 mil pessoas. Custo da obra já chega perto de R$ 1,5 milhão.



Um novo Coliseu está sendo erguido no meio do Sertão do Ceará. O que parece enredo de novela já virou polêmica no pequeno município de Alto Santo. Quando e se ficar pronto, o Coliseu do Sertão vai ser um estádio, onde cabe mais gente do que toda a população da cidade. O custo de tudo isso já chega perto de R$ 1,5 milhão.


Logo na entrada de Alto Santo, a reprodução de um dos maiores símbolos do Império Romano contrasta com o cenário do Sertão. A versão cearense do Coliseu não vai abrigar gladiadores, como a da Roma antiga. Será um estádio de futebol.

E se o Coliseu original foi construído onde antes havia um lago, este ocupa o espaço de um açude que foi aterrado para a obra. O Coliseu do Sertão terá capacidade para 20 mil pessoas. Número maior do que a população do município, que tem pouco mais de 16 mil moradores.

"Nós temos que ter o pensamento mais pra frente. A população não vai ficar só nisso. Quando houver algum evento esportivo aqui, não vai ficar só a nossa população", diz Marcio Bezerra, diretor de Esportes de Alto Santo.

Mas, nem time de futebol de campo a cidade tem. O Alto Santo Esporte Clube foi desativado em 2009. A ideia de construir o estádio foi do ex-prefeito. O atual não fala sobre o assunto e quer concluir a obra ano que vem.

Só um quarto das arquibancadas do Coliseu foram erguidas até agora. Elas vão contornar todo o estádio, por isso, ainda há muito trabalho para ser feito. Mas, desde o início da obra, há mais de 5 anos, o gramado está pronto e, mesmo sem utilidade nenhuma, ele precisa ser mantido diariamente com irrigação e poda da grama.

O diretor do departamento de Esportes do município não considera isso um desperdício e disse que a instalação do gramado foi considerada uma prioridade. “Não adianta você plantar hoje e jogar amanhã. Nós já estamos de 4 a 5 anos cuidando desse gramado, onde tem o corte, tem o adubo, tem aguação, para no dia que chegar o pontapé inicial, o principal é você ter seu tapete verde", afirma Marcio Bezerra.

Nem todos pensam assim. Entre os moradores a obra de quase R$ 1,5 milhão divide opiniões. "Um gasto desnecessário. Aquela estrutura de frente, aquela imponência que nem a cidade absorve isso tudo, nem combina com a cidade", diz Mara Cabó, representante comercial

"Além de ser um lugar bonito, para quem chega na cidade ver um lugar bonito, vai ser muito bom para os jovens aqui, jogar bola e tudo", opina Ricardo Lima, comerciante.

"É um elefante branco. Deveria se construir escolas, escolas de qualidade”, diz Maria José Gomes, professora.

"A gente tem o intuito de ficar conhecida como a cidade que tem o Coliseu do Sertão. Depois de Roma, só Alto Santo", afirma um morador da cidade.

O Ministério do Esporte informou que repassou à prefeitura de Alto Santo R$ 618 mil, liberados a partir de emendas parlamentares. O Ministério Público Federal abriu um inquérito em 2012 para investigar possíveis irregularidades na execução da obra. Os promotores informaram que vêm acompanhando, junto à Caixa, a aplicação dos recursos. E tinham recebido do banco um ofício que apontava irregularidades. Mas, a Caixa esclareceu que a prefeitura já regularizou a situação e que 90 % da obra já teriam sido concluídos.





Fonte: g1.globo.com

Papa faz apelo à paz e pede que erros do passado não se repitam


Domingo, 27 de Julho de 2014 



Francisco citou conflito entre palestinos e israelenses/Foto: Reprodução/AP

O papa Francisco fez um forte apelo à paz neste domingo (27) ao lembrar os cem anos da Primeira Guerra Mundial. Na Praça São Pedro, no Vaticano, o papa citou o conflito sangrento entre palestinos e israelenses, assim como problemas na Ucrânia e no Iraque. Francisco também recomendou que os fiéis e turistas pensassem nas crianças - mortas, órfãs ou mutiladas - que, "como brinquedo, têm destroços da guerra". "Peço a vocês, parem. Peço do fundo do meu coração", rogou o pontífice. Ele citou a declaração do então papa Bento XV durante a Primeira Guerra de que foi um "massacre inútil". "Tudo é perdido com a guerra, nada é perdido com a paz. Nunca mais à guerra", declarou.

Após informe que menciona Dilma, responsáveis serão demitidos, diz presidente do Santander



Domingo, 27 de Julho de 2014 - 15:00


Foto: Reprodução

Após a polêmica causada por um informe do banco Santander, veiculado nos extratos de clientes de alta renda, que apontava risco de deterioração da economia brasileira, caso a presidente Dilma Rousseff seja reeleita, a instituição financeira comunicou que os responsáveis pelo texto serão demitidos. A medida ainda não tem prazo para ocorrer, porque o Santander ainda apura internamente o caso. Segundo o presidente mundial da empresa, Emilio Botín, o informe não é do banco, mas de um analista. Ainda segundo Botín, o dirigente da companhia no Brasil, Jesús Zebalza, prestou esclarecimentos sobre o caso à Dilma e a outras autoridades.

Polícia prende em Bangu um dos maiores ladrões do País


Domingo, 27 de Julho de 2014 

Procurado desde 1984, o assaltante de bancos Gilberto Silva Morais, conhecido como Velho, de 55 anos, foi preso, por policiais da 34ª Delegacia de Polícia (Bangu, na zona oeste). Apontado como um dos maiores ladrões do País, ele também usava o nome de Walter Ribeiro Pinto e era procurado pelas polícias civis do Rio, de Minas e pela Polícia Federal. As investigações da delegacia de Bangu apontam que Morais era especializado em roubos as agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Ele foi monitorado por três meses até ser capturado na Estrada do Pau Ferro, no Tanque, na zona oeste. Velho possui 14 passagens pela polícia, entre elas porte ilegal de arma de fogo, extorsão mediante sequestro, roubo e formação de quadrilha. Contra o assaltante foram cumpridos quatro mandados de prisão.

Caicoense não consegue explicar de quem era a droga apreendida com ele

GTO de Jucurutu intercepta 3 kg de droga vinda de Mossoró /RN que seriam vendidos em Caicó RN



Fonte / Fotos: Jair Sampaio - Genicarlos Medeiros Gomes, 32 anos, caicoense, morador da rua José Maria Gonçalves Vale, nº 700, bairro João XXIII, foi preso nessa tarde de sábado pelo GTO de Jucurutu com três quilos de Maconha.

O investigado vinha numa Van com passageiros que saiu de Mossoró com destino a Caicó, e numa abordagem de rotina os PM´s desconfiaram da atitude suspeita do caicoense, o abordaram e detectaram a droga, que tava escondida dentro de uma mochila.

Em depoimento informal na delegacia, Genicarlos contou que foi a Mossoró através do contato de uma mulher, que ele preferiu não revelar quem é, e lá recebeu a droga por intermédio de um taxista, que afirma não conhecê-lo.

PM de Acari-RN intercepta 3 kg de droga que seriam vendidos em Caicó




Não é notícia repetida!!!

Por Jair Sampaio - A polícia militar da cidade de Acari intercepta três quilos de drogas que seriam vendidos em Caicó, e quem portava a encomenda ilícita era uma natalense de nome "Ana Carolina".

O comandante do Destacamento Policial de Acari-RN, Capitão Galdino, recebeu um informe que homens foragidos da justiça estariam à caminho de Caicó numa Van Doblô, mas ao interceptar o veículo apenas Ana Carolina estava a bordo, juntamente com o motorista do carro, foi feira a abordagem e constatada a presença de mais de três quilos de Cocaína e Crack, que segundo a polícia, estavam na bolsa da natalense e seriam vendidos em Caicó.

O Sargento Franklin (Acari), conversou com o blog: "Estávamos esperando um veículo Doblô com quatro homens suspeitos e foragidos da justiça, assim foi nos repassado através de denúncia anônima, e na abordagem a PM presenciou apenas a Ana Carolina, transportando uma quantidade considerável de droga, vamos entregá-la à autoridade competente, e aí ela apresentará suas argumentações", disse.



Fonte: Jair Sampaio

Veículo de transporte alternativo pegou fogo entre São José do Seridó e Cruzeta



O automóvel Van Duccato de placas HMI 1627- de Jardim do Seridó, conduzida pelo motorista conhecido por Juninho, 34 anos, solteiro, residente na cidade de Caicó pegou fogo entre as cidades de Cruzeta e São José do Seridó. 

De acordo com informações o automóvel que viajava de natal com destino á Caicó começou a da sintomas de quentura e o motorista parou para ver o que estaria acontecendo e se deparou com o automóvel em chamas. 

A principio não se sabe o que ocasionou o incêndio. Os contingentes policiais de São José do Seridó e Cruzeta e o pelotão de transito estão no local garantindo a segurança de quem trafega pela RN. O corpo de bombeiros também já está no local. O motorista da Van, o único ocupante do alternativo, não sofreu nenhum ferimento, apenas o susto e as perdas foram apenas materiais. 

Fonte: Carlos Felipe/Eduardo Dantas

PM que tenta se jogar de passarela queimou 3 motos da Rocam


27 de julho de 2014 

O homem que ameaça se jogar de cima da passarela da Salgado Filho, em Natal, é um policial militar.
Que hoje entrou em surto, foi à sede da Rocam, ateou fogo em 3 motos, e depois subiu na passarela.
A avenida Salgado Filho permanece interditada à altura da igreja universal do Reino de Deus.






Fonte: Thaisa Galvão


O encantado


Domingo - 27/07/2014 


Por Damião Nobre

D. Ariano Sebastião Quaderna Suassuna se encantou. Ou será desencantou? Subiu, avoou e se danou das profundas da Pedra do Reino num alazão branco de arreios prateados ao som da Philarmonica Armorial de Taperoá, sob a regência do maestro Vital Farias, com o violão-solo do menestrel da caatinga, Elomar Figueira de Melo.

Vestido com um gibão de couro bordado a ferro e fogo com luas, estrelas, a cruz de Cristo e as tábuas de Moisés, desceu do cavalo, amontou-se na Onça Caetana e saiu com sua espada de samurai degolando cardeiros e xique-xiques nas quebradas do sertão, na direção de Canudos em busca de Toinho, o Conselheiro, com quem escreveria o Novo Apocalipse.

Enfrentou, a golpes de peixeira e clavinote, os mares bravios do pequeno Rio Grande, as cachoeiras voluptuosas da ignorância, os galicismos, todos os estrangeirismos, as emissões eletromagnéticas emitidas pelos cornos de Satanás, o fogo do inferno que à temperatura de 451 graus Fahrenheit queima livros e destrói neurônios e implanta o domínio da mesmice e da mediocridade, os raios-gama, os raios-x, os raios que o partam, os raios que os pariram.

Ariano, de sangue mouro de sarapatel, de genes de índio e de negro, de pele branca como a neve e de pensamento cafuzo, monárquico e imperial, esporeou as desigualdades e os privilégios, desapeou das concessões e honrarias e, medalhado pelos poderes do povo, adentrou no pórtico da cidadela, subiu as escadas da igreja, penetrou na sacristia e tomou do vinho sagrado no Santo Graal enquanto fogos de artifício pipocavam nas cercanias, desintegrando cristais e incendiando as sedas e o linho das bandeiras e dos brasões.

Ouro, incenso, mirra, salmoura e salitre jorraram das telhas e das biqueiras e aldeões embriagados recolheram em latas d’água o elixir da longa vida e o licor dos ancestrais, aguarrás e absinto, enquanto o cavaleiro alado subia à torre da igreja e tocavam os sinos a melodia imortal, uma valsa de Zequinha de Abreu.

O sol se pôs, uma lua cor de sangue emergiu das profundezas do mar com o lobisomem aguardando escondido numa moita de mufumbo as horas que são para galopar pela caatinga e combater o mal que a eternidade não acaba. Excomungados e anticristos, Cícero, Lampião e Ganga Zumba, João Ubaldo, Rosa e Vinicius, Hermilo, João Grilo e Chicó, vestindo túnicas rubras e empunhando punhais e taças de prata receberam o cavaleiro da Pedra do Reino em cerimônia provençal.

Os galos cantaram pela última vez e o cego Aderaldo com sua rabeca encerrou o cerimonial que os olhos não verão, os ouvidos não ouvirão e a memória não guardará.

Damião Nobre é médico e escritor



Fonte: Carlos Santos

Mais uma pesquisa é registrada para divulgação



Domingo - 27/07/2014 

Eleições 2014

Do Blog de Jota Belmont

Mais uma pesquisa sobre o pleito de 2014 no Rio Grande do Norte. O Instituto Consult solicitou registro de pesquisa eleitoral.

Os números serão divulgados quarta-feira (30) pela rádio 96 FM.

Serão entrevistadas 1.700 pessoas de hoje até segunda-feira (28).

O pedido de registro da pesquisa junto ao TRE é 008/2014.



Fonte: Carlos Santos

LÍDER DE QUADRILHA DE ASSALTO A BANCOS É CAPTURADO



O assaltante Mariano Farias Sampaio, 34, mais conhecido como "Marianinho", apontado como chefe de uma quadrilha especializada em assalto a bancos, foi preso em Santa Quitéria, na Área Integrada de Segurança 14 (AIS 14) do Estado, em uma ação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Acaraú, com apoio da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e Delegacia Regional de Sobral.
"Marianinho" foi capturado no último dia 21 por policiais civis logo após deixar o presídio localizado na cidade de Santa Quitéria, onde cumpria pena no regime semiaberto por roubo.

Ação
A última ação criminosa da quadrilha liderada por "Marianinho" aconteceu no dia 24 de junho, quando uma agência bancária localizada no município de Morrinhos foi assaltada.
O crime contra a instituição financeira passou a ser investigado pela Delegacia Regional de Acaraú, que instaurou inquérito policial.
No dia sete de julho, por meio de informações, os policiais chegaram até Francisco Tiago Melo Miranda, 25. Ele é um dos vigilantes da agência bancária e teria sido o responsável por informar a quadrilha a hora exata de agir. Francisco Tiago foi capturado na casa de familiares na cidade de Varjota, na AIS 14. Outros dois suspeitos de envolvimento no crime em Morrinhos já foram identificados.
Procedimentos
Os presos capturados responderão por roubo qualificado e associação criminosa. Os dois foram recolhidos à Cadeia Pública da Cidade de Morrinhos, onde permanecerão detidos, aguardando decisão judicial.
O Ceará já contabilizou 39 ataques a banco neste ano de 2014. O último, aconteceu em Guaramiranga, Maciço do Baturité, na madrugada de quinta (24).


Fonte: Camocim 24 horas.

Vídeo: confira a felicidade do genro com a sogra indo embora do churrasco!


Confira a alegria do genro com saída da sogra do churrasco! Confira como ele fica feliz...




Está na hora do povo votar contra políticos profissionais que querem mamar na teta do dinheiro do povo.

27 de julho 2014

Lutar pelo fim do político profissional (o que se perpetua nos cargos eletivos) significa lutar contra a corrupção, que tem nele uma das maiores fontes de irradiação

Os gregos, na antiguidade, chamavam de idiotés quem não participava da política, ou seja, quem egoistamente ficava isolado em sua casa, obcecado em suas mesquinharias, sem oferecer nenhuma contribuição para a comunidade, para a polis (cidade) (veja Savater, Política para meu filho). Desse idiotés no sentido grego deriva nosso idiota atual, que você sabe bem de quem se trata. Somos contra o político que faz da política seu único meio de vida, abandonando sua profissão. Ao mesmo tempo, temos que ser contra, sobretudo quando se trata de um jovem, quem não se interessa absolutamente nada pela política, nem sequer par criticá-la (que é a tarefa mais fácil de se realizar).
Lançamos uma campanha denominada está na hora do povo votar contra políticos profissionais. Entendemos o que abandona sua profissão para ocupar cargos eletivos eternamente, como no caso de José Sarney. Lutamos, dentre outras, por três coisas: 1ª) nenhum político pode deixar de exercer a sua profissão particular, compatibilizando-a com suas obrigações públicas; 2ª) nenhum político pode ser reeleito para o mesmo cargo executivo (salvo depois de uma longa quarentena) e 3ª) nenhum político pode exercer mais que dois mandatos consecutivos nos cargos legislativos (só podendo voltar depois de uma longa quarentena). José Sarney não teria exercido (nefastamente, diga-se de passagem) mais de 60 anos de vida pública se essa regra já estivesse valendo.
Mas por que acabar com o político profissional? Porque essa é uma das maiores fontes da endêmica corrupção no nosso país, sobretudo entre o político e o mundo empresarial e financeiro (os três formam uma troyka maligna quando atuam pensando exclusivamente nos seus interesses, em detrimento do povo). Para se entender quais são esses "interesses" basta parafrasear um influente (e desqualificado) político norte-americano (citado por Cristóbal Montes, 2014: 130), que dizia: "O que os homens de negócios [especuladores] não compreendem é que eu opero com os votos exatamente o que eles fazem com as especulações e os lucros ilícitos".
O Brasil não necessita apenas dos movimentos horizontais (povo nas ruas exigindo ética na política, melhores serviços públicos etc.), sim, sobretudo, dos verticais, para extirpar da nossa cultura seus aspectos nefastos, incluindo seus fundamentos personalistas (herança ibérica) e aristocráticos (que conduzem a privilégios e mordomias, violando-se flagrantemente a igualdade entre todos). Nunca o Brasil será um país confiável se os velhos costumes, as crenças arcaicas e as ideologias desgastadas não forem dissolvidos, de uma vez por todas (a começar pelo voto). Nunca atualizaremos o país, de acordo com o mundo globalizado e técnico que vivemos, se a velha ordem colonial e patriarcal, dos senhores de engenho escravagistas, dos políticos corruptos clientelistas, não for revogada terminantemente (veja S. B. de Holanda 1995: 180).
Um político ficha-suja não deveria jamais poder concorrer a novas eleições (por um longuíssimo período). Faz muito mal para o Brasil a existência do político profissional (o que faz da política um meio de vida, reelegendo-se eternamente). O aprimoramento das nossas instituições passa pela proibição das seguidas reeleições. O velho sistema político está morto (e deslegitimado). Ocorre que o novo ainda não nasceu. É hora de lutar por profundas mudanças nos nossos costumes e tradições. Temos que promover uma lei de iniciativa popular para limitar a possibilidade de os políticos fazerem carreiras eternas na política.
Lutar pelo fim do político profissional (o que se perpetua nos cargos eletivos) significa lutar contra a corrupção, que tem nele uma das maiores fontes de irradiação. O político profissional (o que abandona sua profissão de origem para ocupar eternamente cargos eletivos, com todos os privilégios e mordomias) tem imperiosa necessidade de reeleição e essa necessidade de reeleição está para ele como a ganância desmedida está para o empresário e o banqueiro inescrupulosos e parasitários. Junta-se a fome com a vontade de comer. O político, no nosso sistema cultural, "naturalmente padece do vício de dar primazia às conveniências particulares em detrimento dos interesses de ordem coletiva. Isso já significa fazer predominar o emotivo sobre o racional. Por mais que se julgue achar o contrário, a verdadeira solidariedade só se pode sustentar realmente nos círculos restritos e a nossa predileção, confessada ou não, pelas pessoas e interesses concretos não encontra alimento muito substancial nos ideais teóricos ou mesmo nos interesses econômicos em que se há de apoiar um grande partido. Assim, a ausência de verdadeiros partidos não é entre nós, como há quem o suponha singelamente, a causa de nossa inadaptação a um regime legitimamente democrático.

Vivaldo Costa está fazendo seu dever de casa…

27 de julho de 2014 | Caicó


De uma coisa ninguém pode negar, o deputado estadual e candidato à reeleição Vivaldo Costa (PROS) anda fazendo seu dever de casa, e levando seus principais aliados a apoiarem a candidatura de Henrique Alves ao Governo do Estado.

Além de ter convencido os vereadores de sua base em Caicó, Nildson Dantas, Mara Costa, Alisson Jackson e Ivanildo do Hospital a subirem no palanque de Henrique, Vivaldo também está quase convencendo os prefeitos que lhe dão sustentação política a votarem em Henrique. Até o ex-prefeito de Jardim do Seridó, Edimar Medeiros (PROS) deve seguir esta orientação. Pelo menos de não votar em Robinson Faria, Vivaldo já conseguiu convencê-lo.



Fonte: Marcos Dantas

O quadro dos 20 maiores colégios eleitorais do RN



2014 – 2.327.452 eleitores – redução de 1,19% em relação a 2012

2012 – 2.355.539 eleitores – aumento de 4,84% em relação a 2010

2010 – 2.246.691 eleitores

OS MAIORES ELEITORADOS

Natal
2014 –506.053 eleitores – redução de 3,87% em relação a 2012

2012 – 526.426 eleitores – aumento de 0,36% em relação a 2010

2010 – 524.497 eleitores

Mossoró
2014 –160.057 – redução de 2,98% em relação a 2012

2012 – 164.975 – aumento de 3,6% em relação a 2010

2010 – 159.030

Parnamirim
2014 –115.312 – aumento de 10,38% em relação a 2012

2012 – 104.468 – aumento de 8,36% em relação a 2010

2010 – 96.406

São Gonçalo do Amarante
2014 –65.674 – aumento de 0,95% em relação a 2012

2012 – 65.053 – aumento de 8,26% em relação a 2010

2010 – 60.087

Ceará-Mirim
2014 –51.773 – aumento de 3,47% em relação a 2012

2012 – 50.034 –aumento de 4,01% em relação a 2010

2010 – 48.101

Macaíba
2014 –46.110 – aumento de 12% em relação a 2012

2012 – 41.155 – redução de 8,38% em relação a 2010

2010 – 44.923

Caicó
2014 –44.436 – aumento de 0,07% em relação a 2012

2012 – 44.403 – aumento de 1,24% em relação a 2010

2010 – 43.855

Assu
2014 –38.855 – redução de 3,12% em relação a 2012

2012 – 40.518 – aumento de 4,18% em relação a 2010

2010 – 38.892

Currais Novos
2014 –33.093 – aumento de 0,27% em relação a 2012

2012 – 33.002 – aumento de 1,29% em relação a 2010

2010 – 32.581

Nova Cruz
2014 –28.712 – redução de 0,34% em relação a 2012

2012 – 28.811 – aumento de 2,04% em relação a 2010

2010 – 28.235

Apodi
2014 –28.258 – aumento de 0,78% em relação a 2012

2012 – 28.066 – aumento de 3,42% em relação a 2010

2010 – 27.137

São José do Mipibu
2014 –27.570 – aumento de 6,13% em relação a 2012

2012 – 25.977 – aumento de 9,94% em relação a 2010

2010 – 23.628

Santa Cruz
2014 –26.079 – aumento de 1,48% em relação a 2012

2012 – 25.698 – aumento de 3,41% em relação a 2010

2010 – 24.849

João Câmara
2014 –25.229 – aumento de 3,35% em relação a 2012

2012 – 24.409 – aumento de 1,78% em relação a 2010

2010 – 23.980

Canguaretama
2014 –23.848 – aumento de 0,12% em relação a 2012

2012 – 23.818 – aumento de 5,38% em relação a 2010

2010 – 22.601

Touros
2014 –23.407 – aumento de 2,01% em relação a 2012

2012 – 22.944 – aumento de 7,06% em relação a 2010

2010 – 21.429

Macau
2014 –21.312 – aumento de 2,96% em relação a 2012

2012 – 20.699 – aumento de 10,61% em relação a 2010

2010 – 18.713

Extremoz
2014 –19.797 – aumento de 3,27% em relação a 2012

2012 – 19.169 – aumento de 38,39% em relação a 2010

2010 – 13.851

Areia Branca
2014 –18.931 – redução de 4,75% em relação a 2012

2012 – 19.876 – aumento de 6,97% em relação a 2010

2010 – 18.580

São Miguel
2014 –18.679 – redução de 0,84% em relação a 2012

2012 – 18.839 – aumento de 4,31% em relação a 2010

2010 – 18.060



Fonte: Panorama Politico

Videocast: Democratas do RN vive nova crise e o racha se acentua

27 de julho de 2014 por annaruth

Henrique governador: “Um sonho adormecido

ENTREVISTA

27 de julho de 2014 às 2:51 — Comente aqui


Quarenta e quatro anos dando expediente no mesmo lugar, falando na mesma tribuna e para o mesmo público: o Brasil.

Henrique Eduardo Alves começou a se eleger deputado federal quando tinha 21 anos e nunca mais parou.

Perdeu duas.

Duas eleições em que tentou ser prefeito de Natal.

Mas, como as eleições eram municipais, as derrotas não o deixaram sem mandato.

Contados os votos aqui, ele retornava a Brasília onde lá estava seu gabinete à sua espera.

Agora Henrique vê diante de seus olhos, talvez o maior desafio de sua vida.

Maior até do que a disputa vitoriosa pela presidência da Câmara, que o fez presidente da República por duas vezes.

É que, dessa vez, se perder a eleição, pela primeira vez em toda sua carreira política, terá que buscar outro tipo de ocupação enquanto fica sem mandato.

Claro que ele não pensa nessa possibilidade.

Conversei com o deputado Henrique Alves, presidente da Câmara e candidato a governador, no seu apartamento. Entre uma reunião e outra com lideranças de vários municípios do interior, e pouco antes de sair para Assu, onde foi receber o apoio do prefeito e garantir, com isso, o segundo palanque do município.


Thaisa Galvão – Ser governador. Sonho de Henrique. Mas, parecia que não seria para agora já que você demorou a se definir.

Henrique Alves – Era um sonho adormecido. Sempre sonhei em ter essa oportunidade, essa honra, e até essa emoção, né? Mas, depois que eu alcancei essa posição a nível nacional, com o meu partido e hoje na Câmara dos Deputados, ele poderia estar amortecido, mas na hora que surgiu a oportunidade eu vi que era apenas adormecido mesmo, porque está me honrando muito, me emocionando muito e eu acho que é o maior desafio, em um bom momento da minha vida pública, poder disputar, e se Deus quiser ser governador do meu Estado.

Thaisa Galvão – Antes da sua definição o nome era o do empresário Fernando Bezerra. E o que se sabe é que não havia grande simpatia eleitoral pelo nome do ex-senador. Ele guardou o lugar para você, que só apareceu depois que sentiu a simpatia do partido?

Henrique Alves – Não, veja bem, eu era candidato à reeleição, a deputado federal de novo, com a perspectiva que eu não posso negar de me reeleger presidente da Câmara. Eu ouvi o partido inteiro, município por município, nossa militância, nossos líderes, nossos amigos, e todos naquela opção: Henrique ou Garibaldi. Como eu estava naquele projeto, e é importante para o Estado manter a cadeira de presidente da Câmara, não é uma questão de vaidade, de falsa modéstia, mas a pauta do Brasil passa muito pela Presidência da Câmara dos Deputados. É discussão de entidades, de associações, é o poder executivo, tudo nasce da iniciativa do Parlamento mais da Câmara do que do Senado, que é a casa revisora, embora igualmente importante. Então, quando é que o Estado teria oportunidade de ter, de novo, uma presidência da Câmara podendo ajudar tanto ao Rio Grande do Norte? Então era esse o foco que eu estava tendo. No levantamento que nós fizemos, como Garibaldi não queria mais disputar, já tinha tido 3 eleições e era natural, nós buscamos a alternativa de Fernando Bezerra.

Thaisa Galvão – Então a candidatura de Fernando Bezerra era para valer mesmo.

Henrique Alves - Foi pra valer mesmo. Mas aí a gente verificou que, ouvindo todo o PMDB, os 167 municípios, a gente constatou que o partido, a sua grande maioria, queria Garibaldi, em primeiro lugar, e Henrique em segundo lugar. Eu tive uma conversa com Fernando e ele dizia ‘eu acho que não é nem Garibaldi, é o seu momento. Foi muito franco, muito generoso, até. Aí conversei com Garibaldi e ele disse ‘Henrique, eu já disputei 3 vezes o governo do Estado, você quer que eu dispute a quarta? Eu acho que é hora de sua primeira’. Então ele foi tão direto, tão franco, que aquilo bateu na minha consciência e eu disse ‘você tem razão, Garibaldi. A partir desse momento eu não peço mais a sua candidatura, eu tenho um dever e quero muito me honrar de pela primeira vez disputar o Governo do Estado’.

Thaisa Galvão – Então foi a partir daí que você assumiu a postura de candidato ao Governo…

Henrique Alves – A partir dali eu botei na cabeça, me conscientizei, me emocionei, até, e disse ‘agora é a hora de cumprir essa missão com muita honra, de governar o meu Estado. Afinal eu devo tudo ao Rio Grande do Norte na minha vida pública que eu construí, que me dá hoje uma posição de relevo a nível nacional, eu devo ao povo do Rio Grande do Norte, então, eu acho que é a minha hora de tentar fazer por esse estado o que está precisando, e com, não é também vaidade de novo, mas com uma certa dose de realismo, eu acho que eu posso, pelo que eu construí em Brasília, ao longo de todos esses anos, como líder 6 anos do PMDB, como deputado federal 40 anos, como presidente da Câmara, eu acho que não haverá mais nenhuma porta de uma autoridade que seja , que eu não possa abrir e pedir, de cabeça erguida, para o Rio Grande do Norte. Então, essa motivação, e depois manifestações várias, muitas, por onde andávamos, nas cidades, as pessoas telefonavam, eram mensagens…a coisa foi num crescendo, num crescendo, que aí está essa ampla coligação que construímos com muita verdade, com muita humildade, com muita sinceridade, com muita vontade para disputar a eleição.

Foto: Cláudio Abdon




Fonte: Thaisa Galvão

Borracheiro morreu após cair de motocicleta na BR 304 sentido Mossoró/Assu


27 de julho de 2014 

Um acidente de trânsito tipo queda de Moto com vítima fatal,foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal, por volta das 23h55min deste sábado 26 de julho de 2014, na BR 304 sentido Mossoró/Assu,nas proximidades do trevo que dar acesso ao município de Serra do Mel.

A vítima foi identificada como Edicelio Batista de Lira, de 33 anos de idade,borracheiro,morador do Sítio Cordão de Sombra,zona rural de Mossoró. Segundo a PRF o motociclista retornava para o sítio onde morava,quando desequilibrou-se e caiu da moto tendo morte no local.

A Perícia Técnica constatou que não houve qualquer tipo de colisão e reforça a versão da Polícia Rodoviária Federal de que a vítima perdeu o controle do veículo e caiu.

O Corpo do borracheiro foi removido para a sede do ITEP em Mossoró,para os procedimentos de perícia.

O Câmera



Fonte: O Câmera  2

Prosa do Domingo

27 de julho de 2014


 por François Silvestre 


Judiciário e Magistratura. ( Na Coluna Plural, do Novo Jornal)

Não se confundem Judiciário e Magistratura. Mesmo que a segunda seja parte do primeiro, a parte difere do todo. Ou não se confundem como sendo a mesma coisa.

O Judiciário é um dos poderes da República. A Magistratura é o braço judicante da sociedade, mesmo sendo parte do Judiciário, não guarda as mesmas características. Nem responde pelos atos típicos ou atípicos do poder.

O Judiciário, cuja cúpula reside no Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Tribunais Superiores, Militar e do trabalho, cumprem papel revisor dos julgados, mas também exercem as funções próprias de um Poder, que guardam feições políticas.

A Magistratura distribui justiça e assegura direitos. Essa é sua função básica. E nessa condição exerceu, muito antes do Judiciário, a independência da Justiça.

A história da independência do Judiciário, no Brasil, é bem recente. E há um marco simbólico. Com a Proclamação da República, apenas um Poder centralizou as decisões de mando, o Poder Executivo. O Legislativo avalizava os atos do Poder central e o Judiciário era uma espécie de avalista externo, para apresentar ao mundo uma República montesquiana.

E assim foi nos dois primeiros governos militares e nos governos civis subsequentes. Deodoro, Floriano, Prudente, Campos Sales, Rodrigues Alves, Afonso Pena, Nilo Peçanha e Hermes da Fonseca. Nenhum deles permitiu a independência judiciária, de fato.

No Governo Hermes da Fonseca as decisões do Supremo eram respondidas pelo general com um lacônico “Non Possumos”. E ficava por isso. Rui Barbosa e Astolfo Resende esperneavam, mas o Poder Central os ignorava.

No Governo Venceslau Brás ocorre um fato que altera essa prática lamentável. Alteração para o bem da República.

Numa pendência pelo poder no Rio de Janeiro, confrontaram-se Feliciano Sodré e Nilo Peçanha. Por meio de Habeas-Corpus, não havia mandado de Segurança, Astolfo Resende bate às portas do Supremo. A decisão do STF é favorável ao peticionário e determina ganho de causa a Nilo Peçanha. A Assembleia Legislativa do Rio dividira-se 
em duas Mesas Diretoras. A decisão do Supremo, contrária ao Governo Federal, determina intervenção no Rio.

Ninguém esperava que Venceslau fosse cumprir uma decisão contrária aos interesses do seu Governo e do seu líder político, Senador Pinheiro Machado. Surpreendeu, assegurando a decisão do STF com o uso de força federal.

Rui Barbosa escreve um artigo elogiando Venceslau, que o derrotara na convenção do Partido Republicano. Rui comemorou duas vitórias. A tese de independência do Judiciário e o gostinho de ver seu inimigo Pinheiro Machado espumando de raiva.

Nasceu ali a independência do Judiciário. Não da Magistratura. A Magistratura já era independente desde o Império, distribuindo justiça e garantindo direitos, nos grotões das Comarcas. Té mais.


Fonte:  portal no ar Texto original

Leonardo Nogueira afirma que Francisco José não é filiado a nenhum partido



Termina neste domingo o prazo que o candidato a deputado estadual Francisco José Lima Silveira (PROS) apresente ao Tribunal Regional Eleitoral as provas de que os documentos que apresentou para solicitar seu registro como candidato são idôneos. Por decisão do juiz do TRE, Verlano Medeiros, o pai do prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior, precisa comprovar que a autenticação em cartório que consta na ficha de filiação apresentada foi verdadeiramente aposta em outubro do ano passado.

O ex-deputado afirma que é filiado ao PROS desde 05 de outubro do ano passado, portanto, com filiação mínima de um ano de antecedência, como prevê a legislação eleitoral. Contudo, no sistema de informação partidária do Tribunal Superior Eleitoral não consta esta filiação. Como documento para atestar que estava realmente filiado, Francisco José apresentou uma ficha de filiação abonada por Ricardo Mota, presidente da Assembléia Legislativa, e autenticada em cartório na data de 05 de outubro do ano passado. 

O que chama a atenção do processo de comprovação da filiação de Francisco José é que existem vários fatores que funcionam contrariamente à tese de filiação. O primeiro deles é que não é comum um filiado procurar um cartório para autenticar fichas de filiação. Em contato com o secretário de um grande partido em Natal, a reportagem apurou que é muito raro alguma ficha de filiação passar por autenticação em cartório. E se teve o zelo de procurar um cartório para autenticar a ficha, não teve o mesmo zelo para verificar que seu nome não constava no rol de filiados do partido. 

Além disso, como a relação de filiados é enviada duas vezes por ano ao Tribunal Regional Eleitoral pelos partidos, com suas atualizações, em outubro e em abril, não é crível que o PROS tenha se esquecido de mandar a ficha de filiação em outubro/2013 e repetido o mesmo erro em abril/2014. E o próprio Francisco José, que poderia ter acessado o sistema do TRE a qualquer momento que desejasse, tenha levado exatamente um ano sem perceber que seu nome não constava como filiado do PROS. 

Ciente destas dúvidas, o juiz Verlano Medeiros pediu ao 4º cartório de Notas, de Natal, responsável pelo selo de autenticação na ficha de filiação do candidato, que enviasse os números de selos de autenticação usados em outubro de 2013. Ele quer comparar a numeração do selo que consta na ficha com os números fornecidos pelo cartório para verificar se dão do mesmo período. 

O juiz também solicitou ao Tribunal de Justiça do RN que envie em três dias os números dos selos enviados ao 4º Cartório no mês de outubro do ano passado. Além disso, foi convocado para prestar depoimento o próprio Francisco José e o presidente dói PROS, Rafael Mota, para que o juiz conheça em detalhes como se deu esta filiação e esta falha no envio dos dados. 

Nos meios jurídicos a análise sobre as diligências baixadas por Verlano, aponta para dúvidas na veracidade das informações dadas para justificar o erro na filiação. Com as provas solicitadas vai ser desvendado o mistério em torno do assunto. 

Para complicar mais ainda a comprovação, políticos de Mossoró declaram que de fato tinham conhecimento que não existia a filiação de Francisco José ao PROS e que este assunto virou novidade na cidade. O deputado Leonardo Nogueira (DEM) conta que em contato que teve com o próprio Francisco José ouviu dele que não era filiado a nenhum partido.”Ele me informou que não disputaria esta eleição porque não era filiado a nenhum partido, me surpreendi com a notícia da filiação de repente”, diz o parlamentar demista. 

Do:
heitor.gregorio@hotmail.com



Fonte: J. Belmont



Contato : (84) 9604-4055

Contato : (84) 9604-4055

Recomende